terça-feira, 5 de junho de 2012

Dia do Meio Ambiente pela metade


Em Caxias do Sul, na Serra Gaúcha, também houve comemorações no dia de hoje, 05 de Junho, alusivas ao Dia Mundial do Meio Ambiente, como em toda parte do globo.

A Prefeitura Municipal, através da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, organizou, para tanto, um evento na praça central da cidade, a Dante Alighieri, onde milhares de pessoas passam diariamente. Como em todos os anos, diversas entidades públicas e privadas comparecem para expor o meio ambiente local e regional e mostrar seus trabalhos. O Instituto Orbis sempre foi uma dessas entidades, participando desde o início da organização, em reuniões para a formatação do evento que é entregue ao público.

Mas não neste ano de 2012.
Infelizmente a Prefeitura de Caxias do Sul não está entendendo completamente o seu papel de Governo municipal para a cidade. Depois de eleitos, os vencedores da disputa devem governar (ou deveriam) para todos os cidadãos. Mas em Caxias do Sul vemos que não é bem assim, mesmo que os cidadãos paguem seus impostos religiosamente.
Neste ano o Instituto Orbis não foi intencionalmente chamado para qualquer etapa das comemorações do Dia Mundial do Meio Ambiente oficiais na cidade.
O Instituto Orbis de Proteção e Conservação da Natureza é uma entidade ambientalista de direito privado, sem fins lucrativos, primeira Organização da Sociedade Civil (OSCIP) Ambiental de Caxias do Sul, fundada em 1º de Agosto de 2005. Nessa caminhada de anos, a instituição tem crescido de diversas formas, quer pela sua inserção social, quer por sua postura amplamente ambiental (incluindo o desenvolvimento da cidade e políticas públicas). Diversos projetos já foram executados e outros tantos ainda o serão. Temos sido reconhecidos pela população da cidade como líderes ambientais, trazendo informação concreta, verdadeira e independente porém de forma pouco abordada, com linguagem acessível, clarificando os questionamentos acerca da Natureza e propondo novos rumos à cidade. São projetos de longo termo, palestras, movimentos/protestos, entrevistas, cursos, enfim, uma boa gama de ações em que evidenciamos quem somos e ao que viemos. Somos parceiros da Convenção da Diversidade Biológica, organismo da ONU que trata da biodiversidade mundial, para a Década da Biodiversidade entre os anos de 2011 até 2020, assim como o fomos também para o Ano Internacional da Biodiversidade (2010). O Instituto Orbis é também parte da Assembleia Permanente das Entidades de Defesa do Meio Ambiente do RS (APEDeMA/RS) e do Cadastro Nacional de Entidades Ambientalistas, do Governo Federal.

Esse reconhecimento em Caxias do Sul já é um fato e é notório. Somos chamados pela mídia da cidade para contrapor os argumentos arcaicos que literalmente regem a nossa sociedade para trazer luz sobre a bela, rica e incompreendida Natureza que nos cerca. Trazemos a ideia da boa convivência homem (cidades) e Natureza, o que, mais do que nunca, se faz necessário nos dias atuais, como a própria Rio +20 vem agora discutir novamente.

Achávamos, até, que este ano não teríamos o "evento" do Dia Mundial do Meio Ambiente. Ingenuidade  nossa... E com isso, fazemos calos para as batalhas vindouras.

O Instituto Orbis vem a público externalizar sua indignação e inconformidade, não pactuando de mais essa atitude da Prefeitura de Caxias do Sul.
Fomos ofendidos! O povo caxiense também o foi na medida em que não lhe é permitido receber informações ambientais justas e livres de entidade que contrapõe o modelo de desenvolvimento optado pela governança. Esse mesmo povo é o que enche os cofres da Prefeitura todos os anos e que lhe outorgou o mandato para gerenciamento do gigantesco orçamento desta cidade, com proposta política definida e clara (pelo menos na época das eleições).
O Dia Mundial do Meio Ambiente foi realmente pela metade em Caxias do Sul. Houve boicote do organizador. Houve intenção, houve dolo no evento de hoje para que os cidadãos caxienses não pudessem ver outro lado do seu próprio meio ambiente. Foram caçados os direitos do cidadão de conhecer mais da realidade ambiental de onde vive, mesmo que de forma apenas verbal, em uma conversa de quiosque, já que o Instituto Orbis não dispõe de recursos para grande aparatos exuberantes para mostrar ao povo. Temos ideias, temos projetos, temos cérebros oxigenados, corações pulsantes e mãos para irem à obra.
A Prefeitura se colocou indigna de seu próprio eleitorado no momento em que priva o cidadão de conhecer mais amplamente a situação atual da Natureza nesta cidade.
A Natureza daqui, que é muito anterior a todos nós mesmos, não pertence a um dono, muito menos a um dono onipotente, dogmático, demagogo e financista. A Natureza é de todos nós e cabe à Prefeitura zelar pela permanência dela e de nós mesmos, com segurança, inclusive climática, mantendo níveis saudáveis de desenvolvimento. Essa conta matemática é metier da Prefeitura e deve levar em conta a todos, humanos ou não humanos, incluindo o princípio da precaução. Essa conta deve fazer parte do plano de seu governo e ser clara!

Não há, também, um dono ou líder exclusivo da Educação Ambiental na cidade. Em qualquer cidade! Apoderar-se dessa tarefa como organizador exclusivo, usando a máquina governamental com o dinheiro do povo, é no mínimo bestial. Somos contra esse tipo de atitude! As referências da política ambiental em Caxias do Sul são parcas e débeis, carecendo, inclusive, em diversos momentos, de fundamento legal.
O Instituto Orbis espera retratação da Prefeitura Municipal de Caxias do Sul quanto a esse inadmissível fato. A sociedade caxiense merece respeito maior.
O evento do Dia Mundial do Meio Ambiente em Caxias do Sul foi conduzido neste ano de 2012 de forma ditatorial, exclusivista e demagógica, procurando iludir o cidadão de Caxias do Sul.

Nenhum comentário: