quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Somos todos bactérias

Atualmente tem aparecido aqui e acolá expressões preconceituosas, que não condizem com a realidade da vida aqui na Terra. São expressões puramente humanas cheias de más intenções de pessoas pouco lúcidas. Seja pela cor da pele de cada um, pela opção sexual, ou outros motivos.
Somos todos macacos. Somos todos isso ou somos todos aquele outro, para contradizer essas expressões, são verdades, são reais.


Somos, sim, todos macacos.
Se nós pensarmos que os macacos, que não são nossos ancestrais, compartilham todos os preceitos básicos e muitíssimos outros complexos e ultra-complexos, somos, sim, então, macacos, também.
Mas somos mais que macacos. Somos aves, répteis, anfíbios. Somos todos árvores! Somos todos protozoários. Somos todos, enfim, a unidade básica da vida na Terra: a célula, que por excelência de ser vivo inteiro, único, "individualizado" é a bactéria. Os primeiros seres vivos por aqui.
Somos todos bactérias!!
Somos todos, no resumo da nossa ópera, apenas quatro letras: A, T, C e G. Adenina, Timina, Citosina e Guanina (há uma diferenciação na nomenclatura técnica no caso de uma delas em uma situação específica, que não vem ao caso, agora).
Essas quatro letras são as "bases nitrogenadas" que compõem TODOS os códigos genéticos da vida na Terra. Nós, os macacos, as aves, árvores, répteis, anfíbios, protozoários, etc. e bactérias compartilhamos as mesmas quatro bases nitrogenadas em nossos códigos genéticos. A diferença entre braços e asas fica por conta da disposição dessas letras, que traduzem proteínas que formarão estruturas diferentes, basicamente falando. A alteração de uma única letra pode significar a diferença entre vida e morte.
Tudo isso para explicar que todos nós humanos ("Homo sapiens sapiens"), surgidos na África há alguns milhões de anos, somos todos negros, isso, sim! Somos todos tudo o que a humanidade pode oferecer.
Temos os dois pés na África! Todos nós! De Hitler ao Fulano. Até o Zé Ninguém.

Por isso não somos todos pedras..., apenas se partirmos pela Biologia. Pois se partirmos pela astrofísica, somos todos pedras, também!!

#SomosTodosBactérias

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

O Tradutor de mundos



Há um mundo de belezas naturais, com funcionamento próprio, intrincado, complexo, profundo. Um mundo dinâmico, muito dinâmico. Ele tem ventos, fortes e fracos, chuvas, poucas ou de monções. Mas eventualmente é seco, também. Pode ser quente, frio ou cálido. Interage. É totalmente interativo. É imensuravelmente interativo!
Nesse mundo é produzido oxigênio naturalmente. São produzidos alimentos, naturalmente, também, o que mantém todas as formas de vida desse lugar. A partir disso, espécies se desenvolveram por lá. Muitas espécies diferentes. E, olhe, essas espécies se reproduzem, fazendo com que os números de seres vivos desse planeta mantenham-se, ou cresçam. Mas isso tudo atinge a própria dinâmica desse planeta, o que, em si, é bem a cara desse planeta vivo.
É um mundo de tempo longo, longínquo, interminável.
Na verdade, é uma festa! Esse mundo é muito feliz, mesmo sendo de vida e de morte. Ele segue apenas os rumos da sua própria Natureza.
Esse é o mundo Natural.
 Há outro mundo. Um que tem donos. Um mundo de uma única espécie. Um mundo em que coisas podem ser compradas...
É um mundo sem tempo. Um mundo de ar pesado, de inveja, de competição. Um mundo muitas vezes triste, em que os seres dessa única espécie tem se distanciado da sua própria Natureza.
Muitos que habitam esse mundo esqueceram-se de sentir o calor de um abraço com os da sua espécie. Há, até, vergonha em abraçar! E têm se esquecido de como se abraça...
Mundo de distâncias, em que valores estão invertidos. Mundo financeiro. Mundo de guerras e de domínios, em que se tem “prazer” em permanecer sentado em frente a uma caixa mágica que emite sons e imagens.
Esse é o mundo humano.
Mas eis que existem seres que vivem entre esses dois mundos! Seres que são da única espécie de um mundo, mas que entendem a dinâmica e a interação do outro.
Falam duas línguas!!!
Esses seres são conhecidos como Biólogos.
Eles fazem a tradução de um mundo para o outro, já que esses dois mundos não se entendem muito bem. É uma tarefa hercúlea, árdua, interminável, pois o mundo de uma única espécie é muito ávido, muito rápido e bastante violento nas suas práticas.
São poucos os Biólogos, infelizmente. Mas eles sabem bem como é o trabalho de formiguinha. Incansáveis e determinados, eles seguem no seu trabalho de mediar e apaziguar esse dois mundos. E eles têm muita fé de que um dia conseguirão fazer com que esses mundos convivam e torne-se apenas um único mundo.

FELIZ DIA DO BIÓLOGO – 03 de SETEMBRO

sexta-feira, 21 de março de 2014

Dia Mundial das Florestas 2014


"A floresta não saiu e jamais sairá de dentro de nós."
Instituto Orbis


Feliz Dia Mundial das Florestas - 21 de Março.

Somos floresta, somos mato, somos campo, manguezal, semi-árido, somos pântano.
Somos parte do nosso mundo!

Hoje (21 de Março), mundo afora, também é comemorado o Dia Mundial da Árvore, em comemoração à entrada da Primavera no hemisfério Norte. Por aqui, no Brasil, já que nossa Primavera inicia só em Setembro, nosso Dia (Nacional) da Árvore é 21 de Setembro, o que condiz mais com a nossa realidade e com a profusão de flores que elas brotam nessa época.

Proteção incondicional e imediata às nossas florestas, mesmo que, para isso, necessitemos frear nosso modelo imediatista e ignorante de desenvolvimento. Afinal, "a floresta não saiu e jamais sairá de dentro de nós"!

quinta-feira, 13 de março de 2014

Projeto T.E.G.A. - edição 2014

No dia de hoje, 13/03/14, o Instituto Orbis reinicia os trabalhos do Projeto T.E.G.A. (Trabalhos Educacionais de Ganho Ambiental, nome em alusão ao Arroio Tega, em Caxias do Sul).
Desta feita, o alvo é a Rede Pública de Ensino Fundamental Estadual, permanecendo os trabalhos com a criançada do 4º ano.
De maneira lúdica, através de pinturas, recortes e outras brincadeiras, os alunos se inteiram do momento ambiental, sendo o mote principal a água, em Caxias do Sul e na região da Serra Gaúcha. Alicerçam conhecimentos cidadãos para contar com e cuidando do Meio Ambiente em que estão inseridos.
O apoio da Unimed Nordeste RS é fundamental para a execução desse belo projeto, e aqui fica registrado o nosso agradecimento a essa entidade.

terça-feira, 30 de abril de 2013

CARTA ABERTA DA APEDEMA E DO MOGDEMA SOBRE A OPERAÇÃO “CONCUTARE”

CARTA ABERTA DA APEDEMA  E DO MOGDEMA SOBRE A OPERAÇÃO “CONCUTARE” 

A Assembleia Permanente de Entidade em Defesa do Meio Ambiente  do Rio Grande do Sul – Apedema/RS e o Movimento Gaúcho em Defesa do Meio Ambiente – Mogdema vêm a público manifestar seu apoio à Operação “Concutare” realizada pela Polícia Federal no último dia 29 de abril,  que teve como objetivo reprimir crimes ambientais, contra a administração pública e lavagem de dinheiro, envolvendo as licenças ambientais. Tais fatos, amentavelmente, parecem se tornar rotina no âmbito Municipal e Estadual do Rio Grande do Sul.

sexta-feira, 8 de março de 2013

Mulheres - Dia Internacional da Mulher

Às mulheres, Feliz Dia Internacional da Mulher!

Já falamos que mulher é força, é jeito, é bruxa, é amor, é antena de captação, é poder... Mas dessa vez, expliquemos um pouco sobre isso.
___________________________

Mulheres de salto alto; mulheres pé no chão.

A condição feminina é quase que totalmente diferente da condição masculina. Não apenas em empregos, salários, força e outros atributos. E muitos desses atributos ainda precisam mudar bastante..., para igualitários, no mínimo.
Mulheres não põe som absurdamente alto nos carros (e nem pensam em gastar "dinheiros" com isso). Mulheres não caçam animais selvagens. Mulheres não dirigem bêbadas. Mulheres
não comando exércitos em guerras hipócritas, injustas e comerciais.
Mulheres não desejam dominar o mundo. Mulheres são o mundo! Mulheres incluem as pessoas no mundo. Mulheres cuidam do mundo.
Mais do que nunca na história humana, as mulheres estão aí, de fato. Cuidam de si, dos filhos, da casa, trabalham em jornadas duplas, triplas ou quádruplas. Mulheres de aço. Mulheres fêmeas, mulheres feministas.